• Meu Carrinho
  • R$ 0,00
  • DDAVP 4mcg ml SOLUÇÃO INJETÁVEL COM 10 AMPOLAS DE 1ml
  • DDAVP 4mcg ml SOLUÇÃO INJETÁVEL COM 10 AMPOLAS DE 1ml

    código: 005033
    marca: FERRING

    R$ 233,61
    à vista no boleto



    Indisponível no site

    Para adquirir este produto
    contate-nos: 0800.606.1410

    ou solicite o aviso por e-mail.

ESPECIFICAÇÕES:

Código: 005033
Código Barra:
Fabricante: FERRING

DESCRIÇÃO DO PRODUTO:

DDAVP®
Laboratórios Ferring Ltda.
Solução injetável 4mcg/mL.


DDAVP® Laboratórios Ferring
acetato de desmopressina


IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO
DDAVP®
acetato de desmopressina


APRESENTAÇÕES
Solução injetável de 4,0 mcg/mL de acetato de desmopressina disponível em embalagens contendo 10
ampolas com 1 mL de solução estéril.


VIA INTRAVENOSA, INTRAMUSCULAR OU SUBCUTÂNEA


USO ADULTO E PEDIÁTRICO


COMPOSIÇÃO
Cada mL de solução injetável contém:
acetato de desmopressina ………………………………………………. 4,0 mcg
(equivalente a 3,56 mcg de desmopressina)
Excipientes: cloreto de sódio, ácido clorídrico e água para injetáveis.


INFORMAÇÕES AO PACIENTE
Solicitamos a gentileza de ler cuidadosamente as informações abaixo. Caso não esteja seguro a respeito
de determinado item, favor informar ao seu médico.


1. PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?
O DDAVP® é destinado para:
- Tratamento de Diabetes insipidus central;
- Teste de capacidade da concentração renal; e
- Tratamento de Hemofilia A (leve à moderada), doença de von Willebrand tipo I e outras desordens
hemorrágicas.


2. COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?
DDAVP® é uma medicação antidiurética, que reduz a eliminação de água do organismo.
DDAVP® atua sobre os rins suprindo a deficiência de vasopressina natural, substância produzida por
uma glândula do organismo chamada hipófise. Altas doses de desmopressina através da solução
injetável auxiliam nos processos de coagulação sanguínea.
A ação de DDAVP® solução injetável é iniciada em cerca de 60 minutos, após dose de 0,3 mcg/kg de
peso corpóreo e a duração do efeito é de cerca de 8 a 12 horas.


3. QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?
Contraindicações:
DDAVP® solução injetável não deve ser utilizado caso a resposta para algumas das perguntas a seguir
for “SIM”:
- Você possui histórico de angina instável (dor no peito devido à diminuição do oxigênio no músculo
do coração), insuficiência cardíaca (termo médico dado quando o coração não consegue manter as
necessidades circulatórias do organismo) e outras condições que requerem tratamento com agentes
diuréticos (medicamentos que atuam no rim aumentando o volume e o grau de diluição da urina)?
- Você está com a quantidade de sódio no sangue abaixo do normal?
- Você possui hipersensibilidade à desmopressina ou a qualquer componente da fórmula?
- Você possui doença de Von Willebrand tipo IIB (distúrbio da coagulação do sangue)?
- Você possui polidipsia habitual e psicogênica (sensação de muita sede, acompanhada por produção de
grande quantidade de urina)?


Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do
cirurgião-dentista.


4. O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?
Advertências e Precauções
Atenção especial deve ser dada ao risco de retenção de água. A ingestão de líquido deve ser restrita à
menor quantidade possível e o peso corpóreo deve ser observado regularmente. Caso ocorra um
aumento gradual do peso corpóreo, diminuição do sódio sanguíneo para menos de 130 mmol/L ou
osmolalidade plasmática abaixo de 270 mOsm/kg do peso corpóreo, a ingestão de líquidos deve ser
reduzida drasticamente e a administração de DDAVP® deve ser interrompida.


O uso de DDAVP® solução injetável em trombocitopenia não reduz o tempo de sangramento.


Uso em teste de capacidade renal:
A ingestão de líquidos deve ser limitada a um máximo de 0,5 litro de 1 hora antes até 8 horas após a
administração do medicamento. O teste de capacidade de concentração renal em crianças abaixo de 1
ano de idade deve ser realizado sob supervisão cuidadosa em hospital.


Uso como hemostático (impedir sangramentos):
Medições para evitar a sobrecarga de fluidos devem ser tomadas em pacientes que necessitem de
tratamento com diuréticos.


O tratamento com desmopressina deve ser interrompido ou cuidadosamente ajustado durante doenças
agudas intercorrentes e o balanço de fluidos e eletrólitos deve ser cuidadosamente monitorado,
especialmente em situações com sangramento excessivo.


Advertências e precauções para populações especiais
Pacientes idosos, pediátricos e pacientes com níveis de sódio sanguíneo abaixo do normal apresentam
maior risco de desenvolver hiponatremia.
Devem-se tomar precauções em pacientes com risco de aumento da pressão intracraniana.
DDAVP® deve ser cuidadosamente ajustado durante doenças agudas intercorrentes caracterizadas por
desequilíbrio dos fluídos/eletrólitos (por exemplo, infecções sistêmicas, febre, gastroenterite )
Devem-se tomar precauções quando o produto for utilizado em pacientes com insuficiência renal
(redução da função dos rins) moderada ou severa.
Devem ser tomadas precauções para evitar a redução de sódio no sangue, incluindo atenção cuidadosa
à retenção de fluidos e monitoramento do sódio sanguíneo mais frequente, em caso de tratamento
concomitante com medicamentos que são conhecidos por induzir a secreção inadequada de hormônio
antidiurético, como antidepressivos, inibidores seletivos de recaptura de serotonina, clorpromazina e
carbamazepina e em caso de tratamento concomitante com anti-inflamatórios não esteroidais.


Efeito na capacidade de dirigir e operar máquinas
DDAVP® não possui efeito na habilidade de dirigir veículos e operar máquinas.


Gravidez e lactação
Estudos limitados com mulheres grávidas com diabetes insípidus e dados de mulheres grávidas com
doença de Von Willebrand que utilizaram desmopressina indicam não haver efeitos adversos da
desmopressina na gravidez ou na saúde do feto/recém-nascido. Até o presente momento, não há dados
epidemiológicos adicionais relevantes. Estudos em animais não indicam efeitos nocivos diretos ou
indiretos na gravidez, desenvolvimento fetal, parto e desenvolvimento pós-natal.
Deve-se ter cautela na prescrição deste medicamento à mulheres grávidas.
Estudos de reprodução em animais não demonstraram efeitos clinicamente relevantes nos pais e na
prole. A análise in vitro de modelos de cotilédone humano demonstrou que a desmopressina não sofre
transporte placentário quando administrada em concentrações terapêuticas.
Resultados da análise de leite de mulheres lactantes recebendo antas doses de desmopressina (300 mcg
intranasal), indicam que a quantidade de desmopressina que pode ser transferida para a criança é menor
que a quantidade necessária para influenciar na diurese.


Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do
cirurgião-dentista.


Interações com exames laboratoriais
Não há dados a respeito das interações de DDAVP® com exames laboratoriais


Interações medicamentosas
Substâncias conhecidas como indutoras da síndrome de secreção inapropriada de hormônio
antidiurético, como por exemplo antidepressivos tricíclicos, inibidores seletivos da recaptura de
serotonina, clorpromazina e carbamazepina, assim como alguns antidiabéticos do grupo das
sulfonilureias (particularmente a clorpropamida) podem causar efeito antidiurético com um aumento do
risco de retenção de fluidos. Portanto, devem ser tomadas maiores precauções com a ingestão de
fluidos e monitoramento do sódio no sangue nesses casos.
Anti-inflamatórios não esteroidais podem induzir a retenção de líquidos e hiponatremia.


Uso concomitante com cloridrato de loperamida pode resultar em um aumento em até três vezes na
concentração plasmática de desmopressina, podendo levar a um aumento do risco de retenção de água
ou hiponatremia. Embora ainda não estudado, outras drogas que diminuam o ritmo intestinal podem ter
o mesmo efeito.
É improvável que a desmopressina interaja com outras drogas afetando o metabolismo hepático, uma
vez que a desmopressina demonstrou, em estudos in vitro com microssomas humanos, não sofrer
metabolismo hepático significativo. No entanto, estudos de interação in vivo não foram realizados.


Interações com alimentos e álcool
Não há dados disponíveis até o momento sobre a interferência de DDAVP® solução injetável com
alimentos.
O álcool pode diminuir a resposta antidiurética de DDAVP® injetável.


Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro
medicamento.


Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.


5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?
DDAVP® solução injetável deve ser armazenado sob refrigeração (entre 2°C e 8°C).


Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.


Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.


A solução injetável não deve ser armazenada após a abertura da ampola.


Após a diluição de DDAVP® solução injetável com soro fisiológico, a administração deve ser feita
entre 15 a 30 minutos.


Aspecto físico
Ampola com líquido incolor com volume nominal de 1 mL.


Características organolépticas
Vide Aspecto físico.


Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você
observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.


Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.


6. COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?
Modo de usar
DDAVP® deve ser administrado por via intravenosa, intramuscular ou subcutânea.


Posologia
Diabetes insipidus central:
A injeção pode ser usada quando a administração oral ou intranasal é considerada inadequada. A dose é
determinada pelo médico para cada paciente e ajustada de acordo com o volume de urina e sódio
sérico.


Dose habitual intravenosa:
- Adultos: 0,25 a 1 mL (1 a 4 mcg) 1 a 2 vezes ao dia.
- Crianças acima de 1 ano de idade: 0,1 a 0,25 mL (0,4 a 1 mcg) 1 a 2 vezes ao dia.
- Crianças abaixo de 1 ano de idade: 0,05 a 0,1 mL (0 ,2 a 0,4 mcg) 1 a 2 vezes ao dia.


Normalmente a administração é feita pela via intravenosa, no entanto pode ser feita pela via
intramuscular ou subcutânea se necessário.


Teste de capacidade de concentração renal:
Para estabelecer a capacidade de concentração renal as seguintes doses únicas são recomendadas (doses
normais administradas intramuscularmente e subcutâneamente):
A dose para adulto, é de 4 mcg (1 mL). Para crianças acima de 1 ano de idade a dose é de 1 a 2 mcg
(0,25 a 0,5 mL). Para crianças abaixo de 1 ano de idade a dose é de 0,4 mcg (0,1 mL). Para crianças, é
recomendável primeiro o uso da solução intranasal para o teste de capacidade de concentração renal.
Após a administração de DDAVP® solução injetável, qualquer urina excretada dentro de uma hora deve
ser descartada; durante as próximas 8 horas, duas porções de urina devem ser coletadas para medida de
osmolalidade.
Um consumo reduzido de líquidos deve ser observado.


Controle terapêutico do sangramento (Hemofilia A leve a moderada e von Willebrand tipo I) ou
como profilaxia de sangramento antes de um procedimento invasivo:
Pode-se administrar 0,3 mcg/Kg de peso corpóreo diluída em solução fisiológica como infusão
intravenosa durante 15 a 30 minutos. Para pacientes com peso superior a 10 Kg, pode-se utilizar 50 mL
de solução fisiológica; no caso de pacientes com peso igual ou inferior a 10 Kg, pode-se utilizar 10 mL
de solução fisiológica. Se um efeito positivo é obtido, a dose inicial de DDAVP® pode ser repetida 1 a
2 vezes com intervalos de 6 a 12 horas. Repetições adicionais às indicadas, podem resultar em um
efeito reduzido.


No caso de uso pré-operatório, deve-se administrar DDAVP® 30 minutos antes da cirurgia.
Em pacientes com hemofilia A, o aumento desejado do fator VIII:C é avaliado pelos mesmos critérios
que o tratamento com fator VIII concentrado. Se a infusão de DDAVP® não alcançar ao aumento
desejado do fator VIII:C no plasma, o tratamento deve ser complementado com o uso do fator VIII
concentrado. O tratamento de pacientes com hemofilia deve ser conduzido de acordo com os resultados
laboratoriais de coagulação sanguínea de cada paciente.
A concentração de VIII:C deve ser monitorada regularmente, uma vez que em alguns casos tem se
observado que com doses repetidas, o efeito se reduz. Além disso, deve-se monitorar a pressão
sanguínea.


Determinação dos fatores de coagulação e tempo de sangramento antes do tratamento com DDAVP:
níveis plasmáticos de VIII:C e vWF:Ag aumentam consideravelmente após a administração de
desmopressina. No entanto, não foi possível estabelecer nenhuma correlação entre as concentrações
plasmáticas desses fatores e o tempo de sangramento, tanto antes quanto após a desmopressina. O
efeito da desmopressina no tempo de sangramento deve, portanto, se possível, ser testado no paciente
individualmente.


O teste de tempo de sangramento deve ser o mais padronizado possível, por exemplo, com o uso de
Simplate II.


Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do
tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.


7. O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?
Casa ocorra esquecimento de administração, entrar em contato com o médico.
Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.


8. QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?
Uma pequena porcentagem dos pacientes tratados pode apresentar reações adversas como fadiga, dor
de cabeça, náusea e estômago.


As reações adversas que podem surgir são:
Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): dor de cabeça,
fadiga (quando em altas doses); queda da pressão sanguínea com aumento dos batimentos cardíacos
(quando em altas doses) e rubor na face no momento da administração (quando em altas doses); dor
abdominal e náusea.
Reação rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento): tontura (em
doses altas).
Reação muito rara (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento):
hiponatremia (redução da quantidade de sódio no sangue).


Tratamento sem a restrição da ingestão de líquidos pode levar à retenção de fluidos e hiponatremia,
acompanhada ou não de sinais e sintomas como, dor de cabeça, náusea/vômito, diminuição do sódio no
sangue, ganho de peso e, em casos mais graves, convulsões.


Relatos mostram casos isolados de reações alérgicas.


Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações
indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também a empresa através do seu serviço de
atendimento.


9. O QUE FAZER SE ALGUÉM UTILIZAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A
INDICADA DESTE MEDICAMENTO?
O excesso de DDAVP® pode causar a retenção de água e hiponatremia (diminuição da quantidade de
sódio no sangue).
Embora o tratamento para hiponatremia seja individualizado,as seguintes recomendações gerais podem
ser fornecidas: descontinuar o tratamento com desmopressina restringir o volume de líquidos ingeridos
e tratar os sintomas, se necessário.


Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e
leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você
precisar de mais orientações.


VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA


USO RESTRITO A HOSPITAIS


DIZERES LEGAIS
MS: 1.2876.0015
Farm. Resp.: Helena Satie Komatsu - CRF/SP 19.714


Fabricado por: Rechon Life Science AB
Limhamn, Suécia.


Embalado por: Ferring International Center SA – FICSA
St. Prex, Suíça.


Importado, comercializado e registrado por:
Laboratórios Ferring Ltda.
Praça São Marcos, 624
05.455-050 - São Paulo - SP
CNPJ: 74.232.034/0001-48
SAC: 0800 772 4656


www.ferring.com.br

MEDICAMENTOS NEFROLOGIA
informacao







FORMAS DE PAGAMENTO:
Credenciado RedeCard Correios Google Safebrowsing RapidSSL 256Bit Security ConB2c E-commerce SupraSoft
Hera Medicamentos | CNPJ: 09.021.458/0002-82 - MJR Medicamentos | CNPJ 20.390.576/0001­10